A retenção de líquidos que se caracteriza por uma acumulação excessiva de líquido fora das células com aparecimento de inchaço e desconforto, pode resultar de uma baixa ingestão diária de líquidos particularmente água, elevado consumo de sal e/ou açúcar, consumo aumentado de bebidas alcoólicas, uso de determinada medicação, alterações hormonais, problemas cardíacos e/ou renais, carências nutricionais.

As causas deste problema comum são diversas no entanto a desidratação e a inflamação parecem ser duas características bem presentes em pessoas com sintoma de retenção de líquidos existindo hábitos preventivos e curativos.

Aumentar o consumo de água – a quantidade de água diária necessária é variável de pessoa para pessoa contudo consumir pelo menos 1,5L de água por dia ajuda na eliminação das toxinas e favorece a hidratação, não esquecer que somos aproximadamente 70% de água;

Reduzir o sal – o consumo elevado de sal favorece a saída de água de dentro das nossas células para a periferia, substituir o sal por ervas aromáticas como orégãos, alecrim, manjericão, coentros, salsa, hortelã é uma opção a considerar;

Evitar o consumo de açúcar – apesar de saboroso, o açúcar é um dos produtos mais inflamatórios e desidratantes, substituir o açúcar por refeições com fruta, utilizar mel em quantidade reduzida nos doces e sobremesas caseiras, optar por canela, coco pode ser boa opção;

Aumentar o consumo de vegetais – com uma boa percentagem de água, elevada capacidade anti-inflamatória e propriedades diuréticas os vegetais são bons aliados no combate à retenção de líquidos, pepino, espargos, alcachofra podem ser muito interessantes;

Fazer actividade física – como promotor de boa saúde cardiovascular possibilita o retorno venoso e diminui a acumulação de líquidos nas extremidades corporais.